O que está em causa

by Luciano

(Publicado no Correio da Manhã, 29/9/2011)

Ouvir a chanceler alemã ameaçar os países que não cumpram os limites do Pacto de Estabilidade e Crescimento com “perda de soberania” causa pele de galinha. Vêm logo à memória outras “perdas de soberania” originadas na Alemanha: Viena, os Sudetas, Praga ou Varsóvia entre 1938 e 1939.

Mas há uma grande diferença: na altura da II Guerra Mundial ninguém chamou a Alemanha; agora, toda a gente (da França para baixo, incluindo o nosso cantinho) implora por ela. Na realidade, o corrente debate sobre a “falta de qualidade dos líderes europeus”, a continuação do “projecto europeu” e o carácter imprescindível da “solidariedade europeia” limita-se a uma única ideia: a “Alemanha que pague a crise”. Ou seja, a Alemanha e os seus excedentes que cubram sem condições os défices dos outros.

A chanceler e grande parte dos alemães rapidamente perceberam o ruinoso negócio que lhes era proposto, e agora dizem que pagam, sim senhor, mas com exigências em troca. As exigências vão ficando cada vez mais claras, e ninguém diga que não foi avisado. Agradeçamos à chanceler Merkel ter-nos explicado muito bem o que está em causa.

Anúncios